Página Inicial > Viagens > Brasil > Visite e Se Apaixone Por Cabo de Santo Agostinho

Visite e Se Apaixone Por Cabo de Santo Agostinho

Quem busca curtir sol e céu azul, não pode deixar de visitar a cidade Cabo de Santo Agostinho, localizada no Estado de Pernambuco, Brasil. Trata-se de um dos locais mais visitados pelos turistas, tanto estrangeiros quanto brasileiros, que viajam ao litoral do país.  Uma cidade que reserva várias aos visitantes, já que história e cultura também fazem parte das atrações da cidade e convidam a um passeio pela vila de Nazaré, com 24 km de extensão, no ponto mais alto do Cabo. Lá, estão a igreja de Nossa Senhora de Nazaré, em estilo colonial, o Museu do Pescador, e as ruínas do Convento Carmelita, do Forte Castelo do Mar e da Casa do Faroleiro.

Há diversos pontos que devem ser visitados, a começar pela Igreja de Nossa Senhora de Nazaré, que servia como referência aos navegadores, foi construída pelos portugueses no século XVI e passou por ampliações em 1679 e 1872. A Igreja de Nazaré tem, tanto interna como externamente, tratamento simples e despojado. Possui vários elementos em pedra, como cunhais, cercaduras das portas e janelas, arco cruzeiro, portada da porta principal, com destaque para o excepcional lavabo da sacristia.

Outro local que não pode passar despercebido é ao lado da igreja, onde estão as ruínas do Convento Carmelita, 1731, onde atualmente reside uma pequena comunidade de frades. Do alto, é possível ver o Forte Castelo do Mar, com construção realizada em 1722. Lá estão localizadas as ruínas da antiga Casa do Faroleiro do século XIX, além do Porto de Suape e a cidade de Recife, que está bem próxima.

As ruínas do Forte do Pontal de Nazaré, ou Castelo do Mar, nome dado pelos holandeses e pelo qual hoje é conhecido, fazem parte do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Trata-se da construção militar mais importante no litoral de Pernambuco, já que ela tinha como objetivo defender a entrada da barra do Porto de Nazaré e o estuário dos rios Ipojuca e Massangana. No forte, havia três baterias com cinco peças de bronze, totalizando quinze canhões. Dentro de suas muralhas, à entrada, ainda podem ser vistos a Casa da Pólvora e o Quartel da Tropa.

O Museu do Pescador é outro atrativo para o turista. Inaugurado em 2003, está sediado em uma casa de alvenaria, taipa e pedra, com piso de tijolo manual, cuja última reforma ocorreu em 1938. O acervo contém fotografias (cedidas pela Fundação Joaquim Nabuco), painéis com receitas da culinária local e acessórios da pesca artesanal.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!