Página Inicial > Educação > Sustentabilidade > Sustentabilidade: Reciclagem de Vidro

Sustentabilidade: Reciclagem de Vidro

O vidro como amigo da natureza. Essa tendência ganhou força nos últimos tempos com as campanhas de reciclagem, maior conscientização da população e investimentos de várias associações, cooperativas e empresas de grande porte que se unem a recicladoras e beneficiadoras para permitir o retorno da embalagem de vidro descartável como matéria-prima.

Os benefícios da reciclagem do vidro são inúmeros e incluem não só a preservação do meio ambiente e sua qualidade como material e embalagem, mas também a viabilidade econômica e a geração de empregos.

Com um quilo de vidro se faz outro quilo de vidro, com perda zero e sem poluição para o meio ambiente. A reciclagem preza pela qualidade perfeita do material. O processo envolve uma análise do vidro coletado para separar os diversos tipos de vidro e eliminar rótulos, tampas, impurezas e outros materiais que possam contaminar a reciclagem, para depois lavá-los.

Reciclar vidro é mais econômico do que produzi-lo. Produzir um novo vidro exige o uso dos insumos básicos como a areia, o calcário, o carbonato de sódio e equipamentos de elevação de temperatura. Na reciclagem do vidro usado, todos esses componentes são naturalmente reutilizados. O termo “cullet” refere-se a um vidro pronto novamente derretido.

Nos tempos atuais, a reciclagem ocorre principalmente por meio do derretimento do vidro antigo para a geração de um novo, o método mais comum e largamente utilizado na escala industrial. No processo há a seleção por cores: incolor, verde e marrom. Outra técnica é a moagem, onde o vidro é moído ou quebrado e adicionado ao cimento como reforço ao material de construção. Porém, esse emprego tem exigido maiores pesquisas para determinar o grau da reação álcali-agregado, pois o vidro é composto por sílica substância que pode reagir aos álcalis do cimento em meio aquoso, comprometendo a qualidade do concreto.

Por que reciclar o vidro? É facilmente reciclável, não possui substâncias tóxicas e nocivas à natureza. Sua produção não implica em poluição atmosférica, pois boa parte dos fornos atuais utilizados para a sua fundição são ligados pela energia elétrica. Muitas fábricas aproveitam o gás natural no lugar da eletricidade para diminuir os custos de produção e o impacto ambiental.

Geralmente provenientes do lixo doméstico e comercial, os vidros em forma de garrafas, lâmpadas incandescentes, molduras, janelas e potes de conservação para alimentos podem ser 100% reaproveitados e, ainda, poupam matérias-primas naturais, como areia, barrilha, calcário, etc.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!