Página Inicial > Casamento > Origem das Tradições do Casamento

Origem das Tradições do Casamento

Um dos eventos mais marcados pela existência de diversos rituais – e que sobreviveu ao longo dos séculos – é sem sombra de dúvidas o casamento. O casamento envolve não apenas uma passagem ritualística da vida de solteiro para a formação de uma família, mas também tradições seculares que são diferentes em cada religião, e cultura de um país.

E foram diversos os ritos que foram sendo incorporados ao casamento. No antigo sistema patriarcal eram os pais que casavam os seus filhos. Não havia, por princípio, a necessidade de um líder religioso ou ainda um representante da lei que fizesse a oficialização da união de um casal.

Como havia a necessidade de fazer a doação de terras e casas para que o novo casal pudesse se prover, era a própria família que fazia a divisão de bens e marcava a nova etapa dos jovens. Este modelo de casamento surgiu na Roma antiga, e perdura em quase todas as culturas. Foi ainda por este período que surgiu outra tradição – o ritual da noiva se vestir especialmente para a cerimónia. Foi igualmente em Roma que aconteceram as primeiras uniões de direito e a liberdade da mulher casar por sua livre vontade.

O ramo da noiva, ou mais popularmente conhecido como “buquet”, teria surgido na época medieval. À época, as mulheres levavam ervas aromáticas para afugentar os maus espíritos. Pouco a pouco, o ramo da noiva tornou-se um hábito em todos os casamentos e, com a passagem do tempo, acrescentaram-se significados às diferentes flores, em diferentes culturas.

O hábito de a noiva se vestir de branco também pode ser creditado como recente, e teria sido inspirado na Rainha Vitória da Inglaterra, quando ela foi se casar com seu primo, Albert. Vitória teria usado um vestido concebido em um modelo branco, muito adornado, e que passou a ser desejado por diversas mulheres pela beleza e representação do ritual.

Já o véu da noiva é um item que tem uma procedência mais antiga. A tradição de usar um véu teria surgido na Grécia, isto porque os gregos acreditavam que a noiva, ao cobrir o rosto, ficava protegida do mau-olhado da outras mulheres e da cobiça de outros homens. Tinha ainda um significado especial para a mulher: separava a vida de solteira da vida de casada e a preparava para se tornar uma futura mãe.

A grinalda, por sua vez permitia que a noiva fosse distinguida das demais convidadas, fazendo-a parecer uma rainha. Quanto maior a grinalda, maior a relação eu esta teria com a nobreza.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!