Página Inicial > Negócios > Mercado de Franquias no Brasil

Mercado de Franquias no Brasil

Franquia: o mercado de franquias no Brasil.

O mercado de franquias no Brasil é sólido. Há dez anos consecutivos, os números apontam só crescimento. No ano de 2012, o setor registrou um aumento de 16,2% no faturamento, ou seja, movimentou R$ 103 bilhões. O número de marcas brasileiras que entraram no segmento influenciou o crescimento. Das marcas que atuam no Brasil, cerca de 90% são nacionais. O País ocupa a terceira posição no mundo em número de marcas (depois dos Estados Unidos e China) e é o sexto em quantidade de unidades. Hoje, são 2.426 redes.

A entrada de novos players no setor, brasileiros e estrangeiros, o aumento da massa salarial e o crescimento da nova classe média estão entre os fatores apontados como decisivos no desempenho das franquias. Esse impulso leva à criação de mais empregos. No ano passado, foram gerados 103 mil novos postos de trabalho com 941 mil pessoas empregadas. E a bola da vez são as empresas nacionais que instalam suas franquias em shopping centers, representando 65% do segmento. Mais da metade das lojas (em alguns casos, até 70%) desses centros comerciais é formada por franquias.

Shopping centers e franquias estão juntos nessa corrida: ambos querem atender à demanda, vender seus produtos e divulgar suas marcas. E a ampliação das franquias no Brasil e o desenvolvimento de cidades fora das metrópoles têm impulsionado a construção de shoppings no interior, onde com custos menores o lucro pode até ser maior. Os dados comprovam essa tendência: em 2012, dos 157 shoppings em construção no País, 98 eram fora de capitais.

Mas o aumento de faturamento pode ser verificado em todos os setores de franchising, com destaque para hotelaria e turismo (97,8%), sobretudo após a entrada da CVC (eleita, inclusive, a melhor agência de viagem do Brasil em 2011) no modelo de franquias. Os outros segmentos de peso são: limpeza e conservação (44,5%); informática e eletrônicos (32,5%). Em 2012, dos R$ 103 bilhões de faturamento de franchising, os setores mais tradicionais concentraram a maior fatia: em primeiro lugar, o de negócios e serviços, com R$ 24,7 bilhões e, em segundo, o de alimentação, com R$ 20,5 bilhões.

Entre os perfis do franqueado está o investidor que pretende aplicar seu dinheiro em uma loja e ter alguém para operar o negócio; um executivo aposentado, que usa as reservas guardadas para abrir um novo negócio; ou mesmo um jovem que busca seu primeiro trabalho através do empreendedorismo. A marca conhecida, o suporte técnico e uma operação já estruturada que possibilitam um investimento com certa segurança são as vantagens da franquia. Valendo lembrar que direitos e deveres dos franqueados são regidos pela Lei nº 8.955/94.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!