Página Inicial > Esporte > Esportes Aquáticos: Vela ou Iatismo

Esportes Aquáticos: Vela ou Iatismo

Esportes aquáticos não se limitam à natação, como muitos ainda acreditam, mesmo diante de tantas informações nos mais diversos canais midiáticos. Um dos esportes aquáticos, que também pertence à classe dos mais antigos na história do homem é o iatismo, ou mais conhecido como vela. Referências claras sobre o iatismo ou remo podem ser encontradas em documentos históricos. Ainda na antiguidade, o remo era praticado em rios e lagoas, a título de lazer e até mesmo como meio de transporte.

À época, o esporte era apenas nomeado como “ato de velejar”. Segundo historiadores, o termo “iatismo” é algo considerado recente. Teriam sido os holandeses a denominar o esporte, pois consideravam as embarcações, onde se praticava o iatismo, rápidas em relação a outras existentes. Tanto é que “jaght” ou “jaght schip” (leia “j” como “i”) significa: “embarcação naval leve e rápida.

Como esporte, o iatismo somente teria sido introduzido em meados do século XVII, na Inglaterra, pelo rei Charles II, logo após ter tido contato com a modalidade em estadia na Holanda. Em seguida, passou a organizar competições no rio Tâmisa, contra o próprio irmão. A primeira associação de Iatismo se configurou em 1875, com o objetivo de regulamentar as competições. O esporte se consagrou na Europa, e logo na sequência, fora levado à América. No Brasil, o primeiro Iate Clube seria fundado em 1906.

Neste esporte, há uma dependência intrínseca com a natureza, já que os barcos à vela são movidos exclusivamente pela propulsão do vento. Somente desta maneira, é que vão se deslocar sobre as águas. Para a prática do esporte, são usados dois tipos de barcos: os monotipos, e os oceanos ou cabinados. O uso de dará conforme as possibilidades de acomodação dos tripulantes, ou seja, dos atletas.

O iatismo ou vela não é um esporte de fácil classificação. Isto se dará de acordo com a especificidade de cada barco usado na modalidade esportiva. Estas podem se encaixar em tipo de utilização do barco, tipo de equipagem, e o tipo de casco.  Cada um deles seguirá a seguinte utilização: vela ligeira, com patilhão amovível e para uma equipagem de um máximo de três pessoas; cruzeiro, com barcos cabinados e equipados com patilhão fixo, comportanto mais de três membros de tripulação; e o iate, que possuem tipos de tamanhos apreciáveis e todo o tipo de mastreação possível. Em geral, este não comporta mais do que duas pessoas.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!