Página Inicial > Animais > Aves > Conhecendo um Pouco mais Sobre as Gaivotas

Conhecendo um Pouco mais Sobre as Gaivotas

Algumas espécies de pássaros acabam sendo muito conhecidas pelo grande público por aparecerem em filmes, livros quadros ou até mesmo como motivos decorativos. Este é o caso das tão conhecidas gaivotas – aves marinhas que pertencem às famílias laridae – ou subespécie lari, e que costumam povoar muitas passagens literárias – ou até mesmo serem temas de enredos como o do famoso livro “Fernão Capelo Gaivota”.

As gaivotas são a maior espécie conhecida pelo homem,  chamadas de “aquáticas”. Também são aves encontradas em todas as partes do mundo. Somente no Brasil, há a existência de mais de 20 espécies. Dentre elas podemos citar a gaivota-real, que chega a medir 60 centímetros de comprimento e possui uma envergadura alar de até 1,40 metros. A ossada muito leve permite que elas se locomovam de maneira aérea. Suas asas são chamadas pelos especialistas de “órgãos locomotores”.

Dentro das espécies diversas, uma gaivota pode atingir toda a  sua plumagem em 4 anos. As subespécies, que em geral são menores, atingem em menor prazo: dois anos. Algumas das espécies de gaivotas mais conhecidas são a gaivota-parda, a gaivota de asa-escura, a gaivota-grande e a gaivota tridáctila.

Brancas, cinzentas e grandes, possuem também marcas pretas na cabeça ou nas asas. Com bicos muito compridos e fortes, asas longas e patas de membranas, as gaivotas costumam viver em regiões costeiras. Lá, elas sobrevoam o mar em busca de alimento, e embelezam toda a paisagem. É impossível não distinguir um grito de uma gaivota já que ele é grosso, áspero e muito intenso.

Por conta de serem aves marinhas, a dieta alimentar é basicamente feita de peixes. O que não as impede de se alimentarem também de ovos de outras aves menores postas em ninhos. Também caçam roedores que estiverem em seu habitat, e podem alimentar –se de diversos tipos de sobras encontradas, como restos em carcaças deixadas por outros animais. Por essa razão, são companheiras assíduas de barcos pesqueiros, os quais costumam atirar os detritos de suas pescas no mar.

Este tipo de ave é ovípara. A fêmea costuma por de  4 a 5 ovos, que permanecem incubados por até 30 dias.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!