Página Inicial > Casamento > Como Fazer Convites de Casamentos Bilíngues?

Como Fazer Convites de Casamentos Bilíngues?

Muitos casais que se formam não pertencem à mesma nacionalidade. E não hora de fazer um convite de casamento, isto é um detalhe crucial, uma vez que haverá a obrigatoriedade de elaborar um convite em dois idiomas diferentes.  Mas é importante salientar que não se trata apenas de fazer um convite em dois idiomas, com traduções perfeitas, mas, sim, há a necessidade de elaborar um convite de casamento que respeite as tradições e culturas de ambos os pares, que na maioria das vezes, são muito distintas.

 

E o que fazer então nesses casos? Há uma possibilidade bem interessante, e que tem sido oferecida pelas gráficas, que é a confecção do convite a partir de elementos representativos das duas culturas– e a parir daí, basta elaborar o convite. Cada noivo dará o seu para os seus familiares, na língua materna. Portanto, são dois convites diferentes. Esta, porém, costuma ser uma opção que onera os custos com a produção dos convites, já que eles não serão feitos a partir de um modelo já estabelecido. Mas, quem já fez garante que vale muito à pena.

 

Há ainda a possibilidade, para a redução de custos e trabalhos, fazer um único convite, mas respeite os costumes e a cultura do país em questão para evitar gafes, pois os casamentos possuem também o aspecto religioso. No caso de os noivos serem de países latinos é mais simples, pois muitos também têm a religião católica como a religião oficial, sendo assim, como no Brasil. Por isso, as características dos convites são similares, bastando apenas adequar à diagramação. Já quando as culturas possuem diferenças, é necessário um cuidado maior.

 

Se os noivos pertencerem a culturas muito distintas, como no caso de um noivo brasileiro e outro de país asiático, por exemplo, além a escrita na vertical e leitura da direita para esquerda, há alguns costumes que são bem diferentes dos nossos. No Japão, por exemplo, há a tradição do Go-shugi, que consiste na entrega de determinada quantia em dinheiro para quem está se casando. Os parentes próximos, e pessoas importantes que foram convidadas sentem na obrigação de dar quantias elevadas. Entre os brasileiros, por outro lado, há o hábito de se fazer a lista de presentes de casamento. Em uma situação como esta, não basta fazer um convite bilíngue. Nesse caso, há duas soluções: o envio de dois convites distintos ou mesmo uma folha adicional, sendo um em português e outro em japonês, explicando as opções dos noivos.

 

Compartilhe:

Deixe seu comentário!