Página Inicial > Animais > Como Cuidar Bem dos Seus Animais Domésticos

Como Cuidar Bem dos Seus Animais Domésticos

Quem é que não curte a companhia de um animalzinho de estimação não é verdade? É impossível se resistir a isto, o animal não é um brinquedo que poderá ser descartado quando se perde o interesse por ele, ou ainda quando acaba se achando que se tornou um estorvo. Com isto como todo o ser vivo ele conta com grandes necessidades e também ritmos próprios que precisam acima de tudo ser bem conhecidos antes que a sua posse seja concretizada acima de tudo.

Os animais crescem, envelhecem, tem fome, fazem sujeira, podem fazer barulho, e ainda precisam ser ensinados, podem ficar doentes e precisam de uma maior atenção. A partir do momento que decidimos ter a sua posse, somos responsáveis por um bem estar até o final da sua vida. Afinal os bichinhos não pediram para que você fosse o dono dele, não é verdade?

Por isso confira a seguir algumas informações sobre a posse responsável, bem como os cuidados com a saúde, o que inclui os locais de atendimento de ordem pública. E como realizar a sua doação de forma mais adequada quando não existe uma melhor alternativa.

Tenha o cuidado com toda a responsabilidade

É bem difícil se mensurar a quantidade de animais, de forma geral os cães e gatos abandonados nas grandes cidades. Estima-se que em grandes centros urbanos, existe um cão para cada cinco habitantes, mas pelo menos 10% deles está em um estado de abandono. Em cidades como São Paulo o abandono acaba atingindo uma casas dos milhões.

Todo o convívio saudável com os animais de estimação não deveria acontecer por um impulso ou ainda induzido por um consumo ou modismo. Para que não aconteçam arrependimentos para ambos os lados é bem importante se refletir sobre os aspectos desta futura convivência, existem questões específicas que precisam ser pensadas sim antes de levar o animalzinho para a casa.

Analise se o espaço físico para os animai e a família permitem um convívio sem restrições para os dois, principalmente no ponto de vista comportamental.

Todos os envolvidos nesta convivência estão de acordo ou ainda conscientes e tolerantes das novas obrigações, isso vale para empregados e diaristas.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!