Página Inicial > Pets > Cachorros > Com Fazer a Vermifugação nos Cães

Com Fazer a Vermifugação nos Cães

Nem todos os donos de pets sabem quais são os procedimentos e cuidados que se deve ter com os animais, e especial quando eles ainda são novinhos. Eles precisam não somente de alimentação – mas também de vitaminas, vacinas, banhos e alguns medicamentos especiais como os vermífugos.

Um vermífugo, como o próprio nome diz, é um medicamento usado o combate a certos parasitas, mais conhecidos como vermes, que se instalados no aparelho digestivo do animal, pode até levá-los à morte. De tempos em tempos, é muito importante fazer a vermifugação dos animais, uma vez que os parasitas são inimigos invisíveis, e que contaminam os animais de forma bastante silenciosa.

Existem diversos tipos de vermífugos no mercado veterinário, os quais são à base de princípios ativos, como praziquantel, febantel, pamoato de pirantel, milbemicina, ivervectina. Estes princípios ativos são aqueles que combatem melhor alguns protozoários como os chatos (cestoides), os redondos (nematoides) e ainda a Giárdia.

Para saber se o animal está ou não contaminado, é importante observar o comportamento dele, bem como a barriguinha de cada animal. Mas é importante de qualquer forma, fazer a vermifugação a cada 6 meses, em três dozes de acordo com as características do animal, como raça, peso e idade.

Se o animal costuma se arrastar no chão para coçar a região do ânus, é uma forte indicação de que ele está contaminado. O gesto do animal demonstra o desconforto que ele está sentido. Nesse caso, é necessário fazer um exame de fezes e, mesmo em caso de resultado negativo, o ideal é repetir o exame e vermifugar o animal. Isto porque nem todos os dias os ovos ou cistos são eliminados nas fezes dos cães.

Outro cuidado é em relação às cadelas que estão gestantes. Como elas podem transmitir parasitas aos filhotes, quando estes ainda estão sendo gestados, é importante fazer a vermifugação delas em duas etapas: antes da cobertura e, também, 10 dias antes dela parir, para que desta maneira ela não transmita vermes para os filhotes.

Há um tipo de parasita muito particular que afeta as cadelas e os filhotes ainda na barriga delas. Trata-se de Toxocara canis um tipo de verme que consegue atravessar a barreira placentária, chegando ao leite pela glândula mamária, ou pela ingestão de ovos. Além disso, esse tipo de verme pode contaminar o ser humano, portanto, trata-se de uma questão de zoonose.

Já os filhotes, também devem ser tratados durante a lactação e após o desmame, com 2, 4, 8 e 12 semanas, e aos 4, 5 e 6 meses. O indicado é que a cadela também seja vermifugada ao mesmo tempo em que a ninhada.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!