Página Inicial > Animais > Cervo do Pantanal, Um Animal em Extinção

Cervo do Pantanal, Um Animal em Extinção

Blastocerus dichotomus sou mais conhecido como cervo do pantanal é um mamífero ruminante pertencente à família dos cervídeos e o único exemplar do gênero Blastocerus. Animal, cujo estado de conservação encontra-se  muito ameaçado, o cervo- -do- pantanal ainda recebe os nomes de suaçetê, suapuçu, suaçuapara, guaçupuru. Em regiões fora do Brasil, onde ele já habitou naturalmente, ele também é reconhecido como cervo, apenas.

Este cervídio era tido com grande ocorrência em regiões de várzeas e margens de rios, em especial os do centro da América do Sul, indo na extensão do sul do rio Amazonas, até a região norte da Argentina. Entretanto, por conta do processo exploratório, hoje o cervo do pantanal é encontrado apenas no Pantanal – daí seu nome popular – nas regiões do rio Guaporé, na Ilha do Bananal  e em Esteros del Iberá. Há poucos exemplares nestes locais.

O cervo- do- pantanal é considerado o maior dos cervídeos sul-americanos. O peso dele gira em torno de 125quilos e a altura fica na casa dos 1,27 metros de altura. Seguindo a regra do mundo animal, os exemplares machos costumam ser maiores do que as fêmeas, sem contar que também são ramificados. Daí uma distinção bem singular entre os dois. Ambos possuem cascos longos que podem se abrir em até 10 centímetros, isto por conta de uma membrana interdigital existente nos mesmos. Este tipo de membrana apenas surge em animais cujo habitat é altamente inundado. Não vive em bandos, é solitário. Diurno e teme profundamente as onças, em particular as pintadas e as pardas, pois são as suas predadoras. Ainda em relação ao tipo de alimentação do cervo do pantanal, gostam muito de plantas aquáticas.

As fêmeas gestam seus filhotes entre 251 a 271 dias, dando à luz a um exemplar por vez.

Trata-se de um tipo de animal ruminante, mas que possui um sistema  digestório não tão evoluído quanto os demais que fazem a digestão de celulose.

Importantes instituições que zelam pelo cuidado do meio ambiente, como IBAMA e IUCN consideram que o cervo do pantanal é vulnerável e sua presença na natureza foi profundamente reduzida, o que leva ao risco de desaparecimento da espécie. E o fato de seve em particular por conta da redução da área de seu habitat, que teve início no século passado. Mas há ainda outras influências que devem ser consideradas para justificar o fato de o cervo – do – pantanal estar em extinção, tais como doenças oriundas de outras espécies animais domésticos e a caça, já que este costuma ser um troféu para os praticantes deste “esporte”.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!