Página Inicial > Carnaval > Carnaval Da Bahia: O Que Fazer Nas Ruas De Salvador?

Carnaval Da Bahia: O Que Fazer Nas Ruas De Salvador?

O carnaval é a maior festa popular do planeta. E o carnaval brasileiro, sem nenhuma sombra de dúvida, é a festa mais grandiosa e popularesca de que se tem conhecimento. Surgida ainda na antiguidade e como mecanismo de comemoração pagã, o carnaval foi trazido para o Brasil pelos portugueses, recebeu inúmeras influências francesas e hoje é uma festa que gera não apenas beleza, mas também movimento milhões de dólares durante o período de festejo.

E não só o circuito Rio-São Paulo é procurado pelos turistas do mundo inteiro, mas também o carnaval de rua que ficou notoriamente conhecido como Carnaval da Bahia – mais precisamente que acontece nas ruas de Salvador, a capital do Estado nordestino.

O Carnaval da Bahia ou de Salvador se distingue dos demais por ser tipicamente de rua – há uma aglomeração de pessoas durante o 4 oficiais dias de comemoração da festa. Na verdade, o carnaval bahiano começa sempre antes (aquecimento segundo eles) e vai até o último minuto da quarta-feira de cinzas – data oficial de término da festividade.

Além disso, historicamente, o carnaval de rua da Bahia tem uma evolução notoriamente marcada nas questões que implicam as classes sociais. Contra todas as festividades que ocorriam dentro dos clubes privativos, o povo foi festejar nas ruas – no intuito de eliminar temporariamente as divisões sociais tão marcadas no Estado, já que a maioria da população tem origens africanas.

Os foliões que vão a Bahia ou os que de lá são naturais, festejam em três locais principais denominados circuitos: Dodô, que fica nas imediações da Barra-Ondina, Osmar, localizado em Campo Grande – Avenida Sete e Batatinha, já no Centro Histórico. Em 2013, foi criado o Afródromo, dedicado exclusivamente aos blocos afros e afoxés; ainda formara um novo circuito no carnaval soteropolitano a partir de 2014, partindo do bairro do Comércio. Há também Carnaval nos bairros da cidade como em Cajazeiras, Itapuã, Periperi, Plataforma e Pau da Lima.

Durante todo o período, diversos artistas famosos e na maioria de origem soteropolitana, desfilam em blocos próprios pelas ruas, é o caso do bloco de Ivete Sangalo, da Banda Chiclete com Banana e também da cantora Claudia Leite. Estes artistas se preparam o ano inteiro para o evento, assim como a maior parte dos foliões seguidores.

Para seguir os blocos é preciso comprar uma roupa especial chamada abada. O valor varia conforme a procura pelo bloco/artista.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!