Página Inicial > Relógios > A História dos Relógios: Solar, Bolso, Pulso e Outros

A História dos Relógios: Solar, Bolso, Pulso e Outros

Durante muitos séculos, o homem se guiou apenas pelo movimento de uma sombra projetada pelo sol. Era dessa maneira que ele conseguia medir o tempo, e saber, mais ou menos, como seguir de um local para o outro. Porém, o método de observação natural não era uma garantia de exatidão, o que o incomodava, profundamente. Foi este estímulo que promoveu a concepção e criação de um medidor do tempo, a que mais tarde, após a sua invenção, fora batizado de relógio.

A palavra relógio tem origem latina a partir do termo horologium, que significava “o conhecimento das horas”. Depois de criar o primeiro relógio para ajudar na orientação do tempo, para marcar as horas, o homem tratou de aperfeiçoar a peça que lhe fazia sentir o controlador do tempo.

O primeiro relógio a ser criado foi o modelo solar. Rudimentar, e sem precisão, já fez uma grande diferença na marcação da passagem temporal na própria evolução humana. Há vestígios de que o primeiro modelo teria sido criado na região do Egito antigo.

Na sequência, vieram os modelos de água, batizados de “clepsidra”. A clepsidra consistia em organizar dois recipientes de tamanhos e formatos distintos juntos, sendo que o maior receberia uma certa quantidade de água, que seria transmitida, conforme a passagem do tempo, para o recipiente que ficasse sob ele. Bastante primitivo também, um modelo muito antigo fora encontrado também em terras egípcias. Seguiu-se então a criação da ampulheta, que já era bem mais precisa.

Foi somente por volta de 1.500 que o primeiro modelo mais sofisticado apareceu. Pedro Henlein, na cidade de Nuremberg, fabricou o primeiro modelo de bolso, que ficou conhecido como o “Ovo de Nuremberg”, por conta de sua forma e tamanho. O modelo era todo de ferro, com cordsa para 40 horas, e que teria sido o precursor do futuro modelo espiral.

O relógio de Nuremberg tinha um complexo sistema de indicador, bem como de badalar. Sem sombra de dúvidas, a criação desse relógio foi um dos motores que implsionariam outras tantas descobertas que viriam nos anos seguintes.

No entanto a popularização do relógio de pulso, tal como conhecemos hoje, deu-se apenas no início do século XX. Isto porque se tratava de um objeto carto, de luxo, caracterísitcas que permanecem entre muitos relógios até hoje. Criado pela empresa Patek Philippe, os relógios de pulso eram tão valiosos quanto joias. Aqui vale lembrar que, embora muitos atribuam a Santos Dumont a criação dos relógios de pulso, a ideia e fabricação original não foi dele.

Os modelos digitais são baratos, populares e de alto padrão de funcionamento. Podem ser digitais e analógicos.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!