Resumo sobre a História da Guerra do Golfo

A Guerra do Golfo foi um conflito que iniciou em 1990, entre o Iraque e o Kuwait no Golfo Pérsico. O combate também envolveu os EUA e alguns países do Oriente Médio.

A meta do Iraque era de vincular o Kuwait ao seu território como província, para assim controlar seu petróleo. Desta forma, em 1990, iniciou os ataques da imprensa de Bagdá contra o país. Em 1991, teve a invasão iraquiana ao Kuwait. Boa parte da família real kuwaitiana fugiu. Apenas a força aérea do Kuwait tentou resistir durante a ocupação.

A força iraquiana era tão grande que a ação estava mais para uma manobra militar. Assim, o Kuwait foi incorporado ao Iraque como a 19ª província do país. Então a ONU reagiu com um embargo econômico contrário ao Iraque: os países não podiam comprar ou vender para ele.

Ainda assim, a esperança de que o embargo fosse suficiente para afastar as tropas iraquianas era pouca. Então a ONU colocou um prazo: 15 de janeiro de 1991 as tropas deviam ser retiradas. Mas, antes, os EUA já organizavam um contra-ataque. Até o vencimento estabelecido, as tropas da ONU chegavam aos países vizinhos como Arábia Saudita e Turquia.

Enquanto isso, o Iraque arriscava transformar a invasão do Kuwait numa guerra contra o Ocidente e Israel. E Saddan Hussein praticou alguns erros: não contou com a reação do Ocidente diante a invasão e esperou um grande apoio árabe. O ditador não considerou que o mundo estava no Pós-Guerra Fria: os EUA estavam livres sem a pressão soviética. Um dia depois do fim do prazo dado pela ONU, começou o bombardeio ao Iraque.

Numa tentativa de trazer outros países árabes, os iraquianos lançaram mísseis de fabricação soviética em Israel. Com o intuito que Israel respondesse e que outros países árabes apoiassem o Iraque se retirando da aliança anti-iraque. Contudo, a diplomacia e o dinheiro dos EUA foram fundamentais, com isso eles conseguiram persuadir Israel de não contra-atacar, recompensando com baterias antimísseis.

Mais uma saída iraquiana, foi o ecoterror: o escoamento de petróleo no golfo Pérsico e o incêndio das disposições petrolíferas do Kuwait. Um mês depois do início da guerra, o Iraque, que foi submetido a bombardeios e a tropas terrestres da aliança, divulgava através da rádio de Bagdá, a devolução do Kuwait, em 28 de fevereiro de 1991.

Assim, o Iraque perdeu a guerra sem perder território, e Saddan Hussein sem perder o poder. Apenas perderam seu prestígio, já que sua ligeira ruína espantou o mundo, que acreditava numa resistência maior. Dessa guerra despontaram diferentes vencedores, como por exemplo: os EUA assumindo ser potência mundial; e o Egito que ganhou prestígio por apoiar os EUA.