Página Inicial > Educação > Arte > Obras e Vida de Henri Matisse: Retrato com Risca Verde

Obras e Vida de Henri Matisse: Retrato com Risca Verde

Henri Matisse foi uma das referências da pintura fauvista, uma corrente artística do começo do século 20. O movimento estava associado a buscar ao máximo a expressão pictórica, criar uma arte do equilibro, da serenidade e da pureza, sem temas tristes ou perturbadores.

Dentro dessa proposta, um dos quadros mais famosos é “Retrato com Risca Verde”, do próprio Henri Matisse, localizado hoje no Museu de Arte do Estado, em Copenhague, na Dinamarca.

História do quadro

Em Retrato com Risca Verde, Matisse retrata a imagem de sua mulher, destacando o uso arbitrário de cores defendidas pelos fauvistas. O quadro foi feito em 1905, pintado a óleo, e faz parte das obras do início da carreira do pintor.

A faixa verde –  principal motivo de críticas e discussões sobre o quadro –, que corre da testa ao nariz da mulher, é o destaque da obra, detalhe singular que representa a essência do fauvismo em manter-se livre de retratar o objeto de forma fiel e utilizar cores vivas em uma sociedade livre.

Além disso, a linha verde separa o rosto da mulher em duas metades, uma que vai para o amarelo e outra que segue o rosa. Responsável por dar equilíbrio ao rosto, sem essa linha os olhos e sobrancelhas escuros deixariam o retrato pesado.

Seguindo a ideia do fauvismo, neste quadro a Madame Matisse não é uma mulher, mas uma pintura, que segue suas próprias regras, de acordo com a sensibilidade do artista. Nesse caso, a obra não precisa necessariamente copiar a aparência visual da realidade.

Na obra, podemos perceber um desenho geométrico e esquemático, com cores fortes e contrastantes, como na parte inferior de sua composição, onde existem quatro áreas em cores diferentes e pouco realistas. Além disso, não há fundo e existe uma ausência total de perspectiva.

Nesse sentido, o destaque é para as cores complementares, vermelho e verde, presentes no fundo e nas roupas da mulher.

Já as formas, na visão fauvista, devem ser de linhas que brotam impulsivamente. Pinturas eram feitas como se criadas por crianças, passando sensações elementares. No quadro, as formas são bastante simples e a modelagem do rosto é bem rudimentar.