Página Inicial > Educação > Arte > Conheça o Excêntrico Salvador Dalí

Conheça o Excêntrico Salvador Dalí

Considerado um dos gênios mais criativos do movimento chamado Surrealismo, o excêntrico Salvador Dalí ficou conhecido por sua grande obra, mas também pelo peculiar bigode que ostentava como sua marca pessoal. Extravagante também era sua personalidade, além da falta de modéstia quando afirmava: “Sou um monstro de inteligência”.

A personalidade característica era passada para suas obras, um misto de imagens bizarras e oníricas, com uma qualidade plástica incrível.

Dalí também fez trabalhos para o cinema, criou esculturas, fotografias, ilustrou livros e fez desenhos de joias.

A vida de Dalí

Adepto do luxo, Dalí adorava a cor dourada e tinha paixão por roupas. Outra paixão era sua mulher Gala Éluard, também detentora de uma extravagância singular. A esposa sempre cuidou da vida e da obra de Dalí, além de receber os créditos pela saúde mental do marido.

A ela também foram creditados o sucesso do pintor, assim como a comercialização e banalização de suas obras. Não à toa, Dalí tinha adoração pela mulher, muitas vezes presente em suas pinturas.

No Surrealismo, movimento que sofreu grande influência das teorias psicanalíticas de Freud, onde o papel do inconsciente é enfatizado na criação, Dalí é visto como um dos pintores mais importantes.

Com alegorias metafísicas e sexuais, em um mundo dos sonhos, as pinturas de Dalí acabaram, no entanto, recebendo duras críticas de artistas surrealistas. O pintor também recebeu muitas críticas do pai do Surrealismo, André Breton, que acusava Dalí de ser “ávido por dólares”.

E, após ser convidado por René Magritte, Masx Ernst e Miró, representantes mais importantes do movimento, para se mudar para Paris e aderir ao Surrealismo, sua participação chegava ao fim. Ao apoiar o regime autoritário durante a Guerra Civil da Espanha, Dalí foi expulso do movimento. Ao receber o aviso da expulsão, o pintor respondeu: “Sou o próprio Surrealismo”.

O pintor faleceu em janeiro de 1989, quando tinha 84 anos. Seu corpo está enterrado no Museu Dalí.

Principais obras

No Museu Dalí, em Figueras, na Catalunha, existe uma exposição permanente da coleção do pintor, além das 39 joias criadas por ele. A joia mais conhecida é “The Royal Heart”, feita em ouro e incrustada com 46 rubis, 42 diamantes e quatro esmeraldas, criando a ideia de um coração de verdade.

Outras obras de sucesso são “A Persistência da Memória”, “Girafa em Chamas”, “Natureza Morta-Viva” e “Cristo de São João da Cruz”.