Como Cultivar e Plantar Flor Angélica

Famosa pelo cheiro perfumado; por ornamentar buquês de noivas, já que representa pureza; ser utilizada em cerimônias religiosas; e enfeitar os colares entregues aos turistas em sinal de boas-vindas no Havaí, a Angélica, ou cientificamente polianthes tuberosa, pertence à família da agavaceae e é encontrada nos climas equatorial, continental, temperado, mediterrâneo, subtropical, oceânico e tropical sob as condições favoráveis para florescer – como a incidência de sol diariamente.

Originária da América do Norte e México, no Brasil a planta também é conhecida como Angélica-de-bastão, Angélica-dos-jardins, Jacinto-da-índia ou simplesmente Tuberosa.

Durante o inverno, em que haverá o secamento da folhagem, é recomendado arrancar os bulbos, de cor normalmente branca, para que a planta possa repousar em ambiente seco e fresco. No início da primavera, eles devem ser replantados no local definitivo, em canteiros ou vasos bem preparados e adubados. Ao chegar ao verão, elas florescem e assim permanecerão até o final do outono. Têm um ciclo de vida duradouro.

Realmente, a primeira característica da angélica que chama a atenção em um jardim é o cheiro que ela exala. Quanto à aparência, tem flores brancas ou levemente rosadas, pequenas, mas numerosas e em aspecto cônico, e folhas longas e estreitas na cor verde que se assemelham com moitas de capim. Ao florescer, elas se abrem gradualmente da base da inflorescência ao topo. De acordo com a variedade, ainda podem ser simples ou dobradas. No ápice do seu crescimento, pode atingir de 0,4 a 0,6 metros de altura.

O bulbo de angélica deve ser plantado em covas, em terrenos com boa drenagem e boa incidência de sol. O espaçamento entre plantas é de 10 cm, no mínimo. Os bulbos devem ser enterrados a 5 cm de profundidade com a ponta mais fina para cima. O florescimento se dá em aproximadamente 90 dias e o ciclo completo da planta é de 120 dias. É importante manter o solo limpo de ervas daninhas.

Pode ser usada também como flor de corte (flor avulsa), seguindo-se as dicas essenciais para sua conservação em vasos. Devido ao perfume delicioso, há uma grande quantidade de perfumes que reproduzem o aroma da angélica. Já, em decoração de lares, deve-se apenas evitar locais fechados demais, pois a fragrância é forte.