Cândido Portinari: Obra Mestiço

Mestiço, por Cândido Portinari:
Cândido Portinari foi um dos maiores pintores brasileiros da história. Suas pinturas são um reflexo de influências do cubismo, surrealismo e da arte de muralistas mexicanos, valorizando as tradições da pintura e retratando a arte figurativa.

Famoso por obras como “São Francisco de Assis” e “A Primeira Missa no Brasil”, Portinari gostava também de abordar temas relacionados aos menos favorecidos no Brasil, como podemos ver em mais de 50 obras com o tema Social, como em “Os retirantes”, “Café” e “Mestiço”, obra de que falaremos a seguir.

Detalhes de “Mestiço”:
No quadro pintado por Portinari, vemos um personagem em uma lavoura de café, trabalhando no campo.

No primeiro plano, o homem aparece sem camisa, com os braços cruzados. Podemos concluir pela cor de sua pele, seus traços, olhos puxados e fundos, lábios grossos e grandes e nariz largo de que se trata de um mestiço mameluco, nascido de uma mistura entre índios e negros. Vemos também, por suas mãos grandes e unhas sujas, que o homem é um trabalhador braçal, tem os traços fortes e definidos, estatura alta e aparência forte.

Com o homem em primeiro plano e a linha do horizonte ao fundo, é possível afirmar que trata-se de uma obra bidimensional e figurativa.

Contexto da obra
Um quadro de óleo sobre tela, feito em 1934, Mestiço causou um impacto dramático na maioria das pessoas, devido aos traços carregados de contrastes entre branco e preto e o grande expressionismo das cores.

Buscando referências em composições italianas e nos tempos de infância, quando trabalhava em cafezais paulistas, Portinari retrata a figura do lavrador mestiço, com os braços cruzados.

A cabeça e as mãos em formas gigantes dão convencimento à narrativa e tornam monumental e glorificado o trabalho realizado por classes operárias. Enquanto isso, as tonalidades da pintura em marrom e o roxo dos campos cultivados remetem à vitalidade da terra.

As pedrinhas localizadas à direita, e o tronco colocado à esquerda, também mostram as referências de pintores italianos que Portinari usou, neste caso para dar profundidade à imagem.

No fundo, com o muro de bananal à direita e a cerca do cafezal à esquerda, uma inspiração da perspectiva geométrica utilizada no Renascimento, que pode ser também observada pelo formato sólido da casa, em contraposição ao morro, à esquerda.

Termos de busca: